ASSEMBLEIA DE DEUS NO BRASIL

sábado, 29 de janeiro de 2011

O MILAGRE DA PORTA FORMOSA


O templo judaico, segundo Flávio Josefo, tinha nove portas, que eram revestidas de ouro e prata em todos os lados, mas havia uma porta, que estava fora da casa santa e era de bronze de Corinto e muito excedia aquelas que eram apenas revestidas de ouro e prata. A magnitude das outras portas era igual em todas. Contudo, a porta de Corinto, que abria para o Oriente, em oposição À porta da própria casa santa, era muito maior, pois sua altura era 50 côvados, isto é, cerca de 25 metros, e era adornada da maneira mais rica, tendo placas mais ricas e mais grossas de prata e ouro que as outras. Esta última é, provavelmente, a porta chamada Formosa, porque era no exterior do templo, para a qual havia fácil acesso e visto que era, evidentemente, a de maior valor.

Um contraste excepcional entre o resplendor ofuscante da Porta Formosa e um pobre homem que era diariamente colocado ali para pedir esmolas aos frequentadores do Templo. O capítulo terceiro de Atos dos Apóstolos obedece a uma dinâmica literária. No versículo 1, Pedro e João estão indo ao Templo na hora nona, as três horas da tarde, para orar. Existe a explicação teológica que situam três momentos de oração ritualistica para o judeu em lugar dos sacrifícios realizados no antigo tempo. Como neste mesmo texto, aparece o pórtico de Salomão, acredito que eles se reuniam neste local para fazerem suas orações não mais como pertencentes aos seguidores legalistas, mas sim como cristãos.

O versículo segundo, diz "era trazido um homem que desde o ventre de sua mãe era coxo, o qual todos os dias punham à porta do templo, chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam". Portanto, não restava dúvida alguma quanto a condição física e social do homem. Era notório tratar-se de um coxo, alguém que traziam uma anormalidade séria que o impossibilitava de andar, tanto é que era trazido por outras pessoas. Note o emprego do verbo: traziam, punham. Era uma deficiência congênita, um problema que nasceu com ele. Veja: "desde o ventre de sua mãe".

Ele viu a Pedro e João (ver. 3) que iam entrando no Templo, quando lhes pediu uma esmola. "E Pedro, com João, fitando os olhos nele, disse: Olha para nós." O versículo 4 há uma expectativa sendo gerada no homem coxo. O versículo 5, explica a natureza dessa expectativa: "E olhou para eles, esperando receber deles alguma coisa". É claro que, psicológicamente, o homem não tinha referência anterior que sustentasse a tese de um milagre, não envolvendo Pedro e João. Era uma expectativa de receber no máximo um bom donativo. O que foi logo desarmada diante da oportunidade de um ganho infinitamente maior: "E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda". O resultado foi surpreendente e inexplicável do ponto de vista médico-científico: "E, tomando-o pela mão direita, o levantou, e logo os seus pés e artelhos se firmaram". Era a realização espontânea de um milagre!

Milagres não ocorrem segundo o mérito de alguém. Eles cumprem finalidades objetivas associadas com o crescimento do Reino de Deus.

a) Milagres acontecem para glória exclusiva de Deus;
b) Milagres acontecem para que a Igreja do Senhor Jesus saiba que Ele está cumprindo o que prometera: "Eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos!"
c) Milagres acontecem para confirmar a obra de evangelização e crescimento do Reino de Deus.

Não são propriedades de alguma denominação, ou privilégio concedido a um líder religioso específico, mas sim, uma obra do Espírito Santo para beneficio dos que acreditam no poder que há no nome de Jesus.

2 comentários:

  1. Simplismente o melhor estudo até agora sobre essa pericope de Atos.

    ResponderExcluir
  2. faltou um pouco mais de profundidade! ficou superficial as informações, mas Deus o abençoe.

    ResponderExcluir